terça-feira, 28 de dezembro de 2010

[Alto-Giro Avistamentos] Spyker C8 nas ruas de SP!

Podemos dizer que o Spyker C8 Laviolette tem um significado especial para o Alto-Giro, porque desde o primeiro contato que tivemos com esse carro, o jeito de pensarmos e nos dedicarmos a esse blog mudou.

A primeira vez que tivemos contato com ele foi nesse post (clique aqui para ler a história), no longínquo outubro de 2009. Nessa ocasião, o único a avistar esse carro foi nosso repórter-espião Xineis que, em um ato digno de um apaixonado por carros, literalmente perseguiu um caminhão que carregava um carro coberto, mas que chavama muita atenção desse profundo entendedor de modelos e variantes.
Esse episódio realmente marcou a Equipe Alto-Giro porque percebemos que a gente, do alto de nosso amadorismo, podia produzir matérias interessantíssimas, até furos de reportagem!
O primeiro e único Spyker C8 Laviolette no Brasil foi flagrado chegando à sua loja pelo Alto-Giro!

Esse evento não só nos deu combustível para continuar fazendo esse blog com prazer, mas também abriu portas.
Graças ao post, fomos convidados pelo gerente e vendedores da Platinuss para conhecer o Spyker C8 de perto e com tratamento especial.
Esse convite rendeu uma série de posts sobre a visita à Platinuss, com encontros com supercarros incríveis como Pagani Zonda, Lamborghini Diablo e Bugatti EB110 SS.

Mas voltando ao Spyker, essa visita rendeu uma inspeção completa do modelo, com direito a ouvir o ronco do motor, devidamente gravado em video (clique aqui para ler o post).

Resumindo, o contato com o Spyker C8 foi o catalisador para experiências muito além de uma simples postagem no blog. Foi o que realmente nos fez pensar que é possível fazer algo interessante sobre carros em meio a tanta coisa ruim e repetida na Internet.
Foi o que nos deixou satisfeitos com algo que gostamos não apenas de fazer, mas também de ler.

Enfim, para mim, o que coroou esses 2 anos e meio de Alto-Giro (mas com força total há apenas 1 ano e meio), foi o avistamento que fiz semana passada:

Isso mesmo, aquele Spyker C8 laviolette de R$1,1 milhão que vimos de pertinho agora está solto pelas ruas de São Paulo.
E, enquanto nós do Alto-Giro tivermos uma câmera ao alcance das mãos, vamos correr atrás dele e de outros carros que nos encantam tanto para registrar esses momentos.

Esperamos que 2011 seja um ano com muito mais avistamentos e experiências como a do Spyker. Estamos pensando em trazer algumas novidades para o blog também.
Aguardem.

Como esse post está nostálgico, vou trazer o primeiro post da história do blog e também o primeiro avistamento, a seção que mais gostamos de fazer aqui no Alto-Giro, que já mostrava o estilo de escrever que carregamos até hoje...hehe.

Feliz ano novo a todos e até mais!

- Rossi

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

[Alto-Giro Avistamentos] Ferrari F40

Gostaria de começar minha participação neste blog primeiramente agradecendo a equipe do Alto-Giro pelo convite feito para poder compartilhar um pouco mais sobre minhas idéias e experiências automobilísticas. E, inicialmente, gostaria também de escrever um pouco sobre uma questão que me foi abordada alguns dias atrás. Numa discussão sobre carros com amigos, surgiu a pergunta: “Qual foi o primeiro carro dos seus sonhos ?”. Fiquei pensando um tempo a respeito dessa questão. Afinal, quando se é criança, seus sonhos estão muito além do factível no mundo real. Não há preocupação com a disposição financeira, prática, nada. Apenas algo vem na sua cabeça e é o que você acha que é possível de acontecer. Dentro deste pensamento, a resposta veio certeira em minha mente: meu primeiro carro dos sonhos foi, definitivamente, a Ferrari F40. Eu devia ter lá meus 5, 6 anos de idade, e a F40 era o carro que me impressionava na época. Foi meu primeiro carrinho em miniatura colecionável, de muitos que eu adquiriria posteriormente. Era um carro grande, vermelho, potente. Uma Ferrari em sua mais pura convicção e alma. E foi, certamente, o carro que me fez iniciar minha paixão pelos automóveis, um carro que não só por aquela criança com quase nada de sabedoria viria a sentir que era um bólido incomparável, mas também considerado por muitos entendidos do ramo como um dos melhores carros de todos os tempos. Falemos um pouco dela então.

A Ferrari F40 foi construída aos termos de um carro de competição, porém dedicado exclusivamente às ruas. Foi apresentada pela Ferrari em 1987, homenageando a marca italiana, que completava então 40 anos de existência (daí a designação F40).O carro era coexistente com outros modelos de rua da Ferrari na época. Haviam as Ferraris 412, 328 e também a excelentíssima Testarossa, que operava seu motor de 12 cilindros e ganhava toda atenção da mídia automobilística. Pelo menos até então.

A F40 foi produzida com design de carros de corrida para dar maior velocidade sem a perda de estabilidade significativa, fato comprovado por seu grande aerofólio traseiro, desenvolvido para grudar o carro no asfalto. O motor que equipava o coração do bólido italiano era um motor traseiro, V8 bi-turbo (com os turbos operando na pressão máxima de 16 psi), com 4 válvulas por cilindro e 2,9 litros, relativamente pequeno comparado com os superesportivos da atualidade, porém que já entregava 478 cavalos a 7 mil rotações, cavalaria suficiente para levar a máquina de levíssimos 1.100kg da imobilidade aos 100km/h em 3,9 segundos e máxima de 324km/h, números que impressionam até hoje. Para transferir toda essa potência para o asfalto, eram utilizados largas sapatas, pneus 245/40 na frente e incríveis 335/35 na traseira, ambos com raio de 17 polegadas. O câmbio era manual de 5 marchas, dispensando toda a tecnologia que existe hoje e lembrando que, naquela época, a mecânica sobressaia fortemente contra a eletrônica dos tempos atuais.

Como uma criança, tudo era possível, mas um adulto que quisesse botar as mãos numa máquina dessas no mundo real deveria ser, além de muito rico, cliente antigo da Ferrari, para os quais foram oferecidos as apenas 1.315 unidades produzidas da F40, entre os anos de 1988 e 1991.

A F40 foi considerada entre 1987 e 1989 o carro de rua mais rápido do mundo, sucessor da marcante Ferrari 288 GTO, o que tornava a responsabilidade da F40 ainda muito maior, devido ao sucesso do seu antecessor. Era o sonho de qualquer fanático por carro, como me tornei na época e de outros muitos que já existiam. Certa vez, Enzo Ferrari chegou a dizer que “Se Deus fosse um carro, ele seria uma F40”, exaltando sua maior obra-prima até então. O carro foi rei absoluto do mundo automobilístico até a criação da Lamborghini Diablo, alguns anos depois. Mas isso é papo para outra hora.

Mas, como não só dados e informações satisfazem entusiastas de supercarros, como nós, gostaria de compartilhar um AVISTAMENTO (sim, um avistamento!!) que um amigo (e aproveitar para agradecer ao Diego pela colaboração) fez de uma F40 aqui, no Brasil (!!!). As fotos que temos abaixo foram tiradas em Ribeirão Preto, quando o feliz proprietário dessa relíquia estava transportando seu bólido para São Paulo.







Por final, depois de passar por todas essas informações e fotos, fica aqui a pergunta para o leitor: “Qual foi o primeiro carro dos seus sonhos?”

Feliz Natal e Boas Festas!

- João


sábado, 18 de dezembro de 2010

[Alto-Giro] Atentado à ortografia

Sem comentários...


Enviado por nosso amigo Alexandre Zamariolli, que viu o anúncio numa revista de Marília - SP.

-WS
Equipe Alto-Giro

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

[Alto-Giro] Mercedes-Benz SL65 AMG Black Series


A Estrela Negra


Outro dia estava passando pela Av. Europa e me deparei com este avistamento espetacular dentro de uma das lojas dessa via tão especial para os amantes de carros paulistanos. Olhando de relance para dentro de uma das lojas, vi algo que fugiu da minha compreensão. Havia reconhecido o carro, mas na hora levei alguns instantes pra entender que realmente estava diante de um Mercedes SL 65 AMG Black Series.


Inconfundível. E absolutamente sinistro.

O SL 65 AMG, como este que avistamos em São Paulo, já é algo descomunal, mas Black Series o faz parecer ser feito para frágeis atrizes exibicionistas de Hollywood...

Acho que o Black Series é exatamente o oposto de muitas coisas que um SL normal representa.
Se um SL é radiante e exuberante, um Black Series parece ter saído das trevas. O SL é talvez o conversível mais famoso do mundo. O Black Series tem teto rígido. Um SL é feito para um rodar aveludado e luxuoso pela Sunset Boulevard ou Rodeo Drive. O Black Series é menos confortável do que uma pilha de pedras, como diz Jeremy Clarkson no cômico vídeo abaixo.
O Black Series, em muitos sentidos, representa a ovelha negra da família SL. Ou melhor... um lobo vestido de ovelha.



Essa série especial deste esportivo da Mercedes tem produção limitada a 350 unidades, o que o faz mais raro do que os Veyrons, como o visto anteriormente aqui no Alto-Giro, que tem produção prevista de 450 unidades, combinando o coupé com o Grand Sport.

Apesar de lembrar muito o estilo do SL, o Black Series apresenta modificações significativas em relação ao esportivo do qual empresta a plataforma. Os engenheiros da AMG começaram com um SL65 AMG, um carro já ridiculamente rápido, e começaram a remover peso. Além da remoção do desnecessário teto dobrável e seu pesado mecanismo de acionamento, a saia frontal, o capô, o novo porta-malas e a asa traseira são todos de fibra de carbono. No total, a AMG cortou significativos 250 kg do carro, trazendo o peso para 1870 kg no total.


Se essa massa ainda pode parecer excessiva para um superesportivo, o Black Series lhe compensa com 670 hp a 5400 rpm, e brutais 102 kgfm de torque.
Se acha isso um absurdo, tem mais: o torque teve que ser limitado eletronicamente, para preservar o sistema de transmissão. E por causa dessa limitação eletrônica, o motor é capaz de manter esse momento máximo por uma ampla faixa de rotação, entre 2200 e 4000 rpm!
Ou seja, em algum instante, entre 2200 e 4000 rpm, o motor atingiria seu torque máximo (como os carros normais), mas devido à essa limitação eletrônica, temos que nos contentar com "apenas" 102 kgfm constantes, trabalhando nesta faixa de rotação.

Toda essa usina de força é produzida pela combustão ocorrida dentro dos 12 cilindros dispostos em V sob seu capô de fibra de carbono. Com 6 litros de capacidade e sobrealimentado por dois turbo-compressores, é basicamente o motor do SL65 normal, mas com maiores turbo-compressores, intercoolers mais eficientes e sistemas de admissão e escape modificados.


Em carros com tanta potência disponível, o limitante passa a ser obviamente sua capacidade de transmitir essa força para o solo. Burnouts a cada partida, e destracionamentos a cada mudança de marcha são legais para impressionar adolescentes, mas acabam com a eficácia do desempenho do carro e inutilizam toda a força do motor. Para despejar toda a cavalaria no chão, a AMG especificou pneus de maior diâmetro e largura para o Black Series, além de ter aumentado a bitola do carro, o que pode ser observado pelo abaulamento dos para-lamas. Toda a suspensão foi revisada, e é completamente ajustável. E claro, adotou um indispensável controle de tração, ajustável em três níveis: normal, esportivo e... desligado.!!


Toda esse esforço de engenharia se traduz em alguns números surpreendentes de desempenho:
Aceleração de 0 a 100 km/h vencida em 3,8s, e velocidade máxima limitada eletronicamente em 360 km/h.

Se o SL 65 AMG Black Series não é tão elaborado e exótico como o SLR, nem tão elegante e nostálgico como o SLS, não deixa de entrar na história como o SL mais radical de todos os tempos. Além de ser o detentor do título do Mercedes-Benz de produção mais potente de todos os tempos.

-Xineis

sábado, 11 de dezembro de 2010

[Alto-Giro] Carro X na Dutra


Apressados, acalmem-se. Nós conhecemos o modelo e a fabricante do carro dessas fotos. Este post é apenas para mostrar uma das táticas ridículas das montadoras para obter divulgação gratuita para seus lançamentos.


O que leva uma montadora a camuflar - ainda que de leve, é verdade - um carro que já foi anunciado ao mercado brasileiro, constando inclusive de sua página na internet? Pior: por que o motorista, ao notar que estava sendo fotografado, faria de tudo para escapar do ""flagra""? Pois foi exatamente isso que aconteceu, quando nosso amigo Galileu fez essas fotos, na rodovia Presidente Dutra, que liga São Paulo ao Rio de Janeiro. Resposta: publicidade gratuita. Um carro camuflado chama mais atenção, gerando mais fotos e burburinho na internet. De qualquer jeito, acho que essa montadora em especial precisa desse tipo de coisa mais do que a maioria das outras.

(Se você fizer questão de mostrar seu conhecimento, é bem vindo a colocar os dados do carro nos comentários, hehe.)

-WS
Equipe Alto-Giro


quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

[Alto-Giro] Bugatti Veyron rodando no Brasil

Monstro:

Dica do Jão

Update:

Olha só quem apareceu pra fazer companhia pro Veyron nesse dia:

Não reconheceu? É nosso querido amigo EB110 SS!!!
Nada mal pro motorista da foto também?

Cara essa foto hein? Hehe.

- Rossi

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

[Alto-Giro] Faetonte

Hoje, um pouco de mitologia grega pra vocês. É isso aí, Alto-Giro também é cultura! (Aos impacientes: aguardem, que tem relação com o mundo automobilístico, hehe.)

A queda de Faetonte

Faetonte era um filho mortal de Apolo, o Sol. Quando um companheiro de escola zombou da idéia de ser ele filho de um deus, pediu à sua mãe, Climene, uma prova de sua descendência. Ela indicou-lhe então como chegar ao palácio do pai, ao qual ele prontamente se dirigiu.

Ao encontrar Apolo, foi reconhecido como seu filho, e o deus concedeu-lhe um pedido, qualquer coisa que quisesse. Pois Faetonte pediu para conduzir o carro do sol por um dia, o único pedido que o pai deveria negar-lhe, tamanha a dificuldade da tarefa. Era um feito que exigia mais do que a capacidade de um mortal, fora do alcance até mesmo de outros deuses. O caminho do carro flamejante segue por ladeiras tão íngremes que os cavalos mal conseguem subir, corre no meio de monstros aterradores. Era um feito impossível para Faetonte.

Não obstante, ele rejeitou todos os argumentos do pai para persuadi-lo da idéia, e resolveu ir em frente com a empreitada. Pouco depois do início da jornada, Faetonte foi sacudido pelos corcéis, que deixaram o caminho usual. Ao olhar para baixo, as pernas tremendo, ele desejou jamais ter feito o pedido ao pai. Fraquejou, as rédeas lhe caíram das mãos, e uma série de tragédias decorreram.

Assistindo ao desastre, Apolo pediu a Zeus, rei dos deuses, que tombasse o próprio filho, pelo bem do mundo. Com um raio fulminante, Zeus arrancou Faetonte, ao mesmo tempo, do carro e da existência. Ele caiu então no grande rio Eridiano, que o recebeu e refresecou seu corpo ardente.

Sobre o evento, Ovídio disse:

Aqui jaz Faetonte, condutor do carro paterno,
que, se não foi bem sucedido,
pelo menos ousou tentar uma empresa.

Agora, a conexão com o mundo automobilístico: qual paralelo podemos traçar com a história de Faetonte? Alguma montadora que, avisada por todos de que falharia, tentou, mesmo assim, um grande empreendimento?

VW Phaeton

A propósito, Faetonte tamém é conhecido como... Phaeton!

-WS
Equipe Alto-Giro

A história foi tirada do fantástico "O Livro de Ouro da Mitologia - Histórias de Deuses e Heróis", de Thomas Bulfinch, publicado pela editora Ediouro. Uma referência para quem gosta de mitologia.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

[Alto-Giro] Montanha russa da Ferrari

Cara, olha a velocidade que isso anda!
E olha como o Massa e o Alonso estão tensos! hahaha
Isso pq eles pilotam F1!



Deve ser animal!

É só dar um pulinho no Ferrari World, lá em Abu Dhabi.
Esse video foi feito nesse final de semana, na etapa final do campeonato.
Já que o Vettel ganhou, resta ao Alonso ficar brincando na montanha russa.

Dica do Rodolfo.

- Rossi

terça-feira, 26 de outubro de 2010

[Alto-Giro] Latin NCAP: Crash Tests no Brasil


Recentemente, uma organização chamada de Latin NCAP ganhou a mídia brasileira. Estou certo de que muitos de nossos leitores já estão por dentro do seu propósito: o de realizar os famosos crash tests com os carros vendidos no Brasil e na América Latina.

A Latin NCAP é uma organização composta de diversas fundações (inclusive a FIA), que adquire os carros de forma independente e os submete a testes baseados em normas como a Euro NCAP. Pelo que foi divulgado até agora, apenas um teste de colisão frontal a 64 km/h contra uma barreira móvel foi executado, avaliando os níveis de proteção para adultos e crianças. Dentre os carros testados estão Toyota Corolla, Chevrolet Meriva, VW Gol, Fiat Palio e Peugeot "207".

Resultado: desastre, como esperado. Resumindo a história, nenhum modelo sem airbags (maioria no mercado brasileiro) conseguiu mais de 1 estrela das cinco totais. E nenhum carro, com ou sem airbags, conseguiu mais do que 2 estrelas no quesito proteção infantil. Vale a pena fazer uma visita ao site da organização (ou ao YouTube, mesmo) para assistir aos vídeos dos testes. O destaque fica por conta do carro chinês (Geely CK 1) que, depois disso, espero que não venda nem mesmo uma unidade no Brasil, haha!

O propósito da Latin NCAP, considerado louvável por nós do Alto-Giro, é o de incentivar os consumidores a exigirem carros mais seguros, mostrando o (baixo) nível dos carros nacionais no quesito "proteção aos passageiros", além da importância de equipamentos de segurança opcionais (aqui no Brasil), caso do airbag, por exemplo. A idéia é simples: se os consumidores exigirem, as montadoras serão obrigadas a melhorar.

Perdoe-nos se nós, do Alto-Giro, não acreditamos na força do consumidor brasileiro, já que, a julgar pelos produtos que tem disponível (e seus preços abusivos), compra e se contenta com qualquer coisa. Felizmente, se o mercado não se auto-regula, alguém no governo está fazendo algo de bom. Me refiro às resoluções 220 e 221 do Contran, que exigem a realização de testes de impacto com critérios biomecânicos, isto é, que levam em conta os danos aos passageiros. Em outras palavras, finalmente teremos ensaios obrigatórios, semelhantes aos conduzidos pela Latin NCAP, usando os famosos crash test dummies. As resoluções ainda não estão em vigor, mas já é um começo.

De qualquer forma, ficam aqui nossas palmas para a iniciativa da Latin NCAP. Aprovamos todas as tentativas de melhorar o mercado automotivo brasileiro, e algo desse tipo só tende a deixar os consumidores cada vez mais informados para, quem sabe num futuro longínquo (antes tarde do que nunca, hehe), façam escolhas conscientes na hora de comprar um carro.


- Resoluções do Contran


(Dica para a Latin NCAP: é irritante usar o site em português e deparar com diversas palavras em espanhol - inclusive o slogan. Corrijam isso!)

-WS
Equipe Alto-Giro

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

[Alto-Giro] Ferrari da Barbie - China Edition

Avistada na China, essa Ferrari em rosa metálico mostra duas coisas:

1) Sim, mulheres também gostam da idéia de ter e dirigir uma Ferrari (- calafrios!);

2) Sim, a Ferrari vai fazer qualquer coisa que você pedir com o seu carro, desde que você coloque grana suficiente na mesa (- calafrios! x2)



Nossos agradecimentos à nossa mini-agente Leninha, que conseguiu as fotos com um amigo.
(Provavelmente fui o único a pensar assim, mas poderia jurar que a primeira foto foi tirada na esquina da Paulista com a Pamplona, bem onde fica o novo stand center, hehe.)


Obs.: Veja a Ferrari California no Alto-Giro neste link!

-WS
Equipe Alto-Giro

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

[Alto-Giro Avistamentos] Jaguar XJ220


Jaguar XJ220


Aproveitando a bola levantada pelo nosso leitor Alexandre nos comentários do post anterior, publico agora o restritíssimo contato que tive com o Jaguar XJ220, um dos ícones da década de 90.
Um dia desses, no meu caminho de volta do trabalho, passo na frente da oficina Frison, no bairro da Vila Nova Conceição, em São Paulo. Habituado a passar sempre por essa região, eu já havia adquirido o costume de sempre dar uma espiada nos carros que estão parados lá. E, no canto do meu campo de visão, escondido no meio de Porsches, Ferraris e outros carros tão diferenciados, vejo algo que, até neste universo, escapa da realidade e consegue ser exclusivo!



Neste breve contato, pude admirar a fluidez das linhas deste superesportivo inglês.
Concebido para fazer frente a pesos pesados do final da década de 80 e início dos 90, como a Ferrari F40, o Porsche 959 e o Lamborghini Diablo, o XJ220 teve apenas 281 unidades produzidas. Sua nomeação é um indicativo de seu desempenho: foi feito para alcançar 220 milhas/h, o equivalente a impressionantes 354 km/h!!

Com um V6 sobrealimentado por dois turbocompressores, produz 542 hp de apenas... 3,5 L de capacidade cúbica! Apesar de todos sabermos que números absolutos pouco significam para se tirar conclusões sobre a competência técnica de um carro, neste caso dá pra prever que tamanha cavalaria extraída de tão baixa cilindrada só pode ser resultado de uma coisa: sobrealimentação exagerada e consequente excessivo turbo-lag.
Além deste problemático retardo da turbina, o XJ220 também era conhecido por suas capacidades dinâmicas limitadas, fama que Jeremy Clarkson mostra no cômico vídeo abaixo. Neste vídeo, é impressionante ver a diferença de força deste seis cilindros com e sem a atuação da sobrealimentação!




Pra fechar, além do avistamento em São Paulo, aproveito pra postar meu único outro contato que tive com o tubarão inglês. Este XJ220 abaixo, também prata, foi avistado em Newport Beach, CA, quando estive em visita em 2006.

Alguns dados da máquina:

V6 3.5L biturbo central-traseiro.
542 hp @ 7000 rpm
65,8 kgmf @ 4500 rpm
0-100 km/h em 3,8 s
Vmax - 220 milhas/hora, ou 354 km/h
Peso: 1.375 kg

Para ver outros avistamentos desta tradicional seção do Alto-Giro Blog, cliquem em "avistamentos" no menu lateral, ou aqui. Se tiverem alguma foto própria de um carro diferenciado, mandem para altogiroblog@gmail.com, que teremos prazer em publicá-lo.

-Xineis

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

[Alto-Giro Avistamentos] + SLS AMG em SP

Depois do nosso primeiro avistamento de um SLS em São Paulo, nosso leitor Leonardo Lino de Campos nos enviou mais algumas fotos desse novíssimo esportivo da Mercedes-AMG, todos no eixo rua Colômbia/av. Europa/Cidade Jardim:

Lá no fundo, em frente à concessionária Bentley/Bugatti (humilde, hein? - haha!)


Na Só Veículos, loja multi-marcas


Na sua "casa" oficial, uma concessionária Mercedes

O meu preferido é o prata (de preferência com interior vermelho, evocando totalmente o 300 SL), e o de vocês?

Nossos agradecimentos ao Leonardo!
Se você quiser ver seus avistamentos aqui, envie um e-mail para altogiroblog@gmail.com.

-WS
Equipe Alto-Giro

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

[Alto-Giro Avistamentos] SLS AMG em Sampa

O avistamento de hoje é um dos meus supercarros novos favoritos, a reencarnação de um mito, a obra-prima de uma empresa sensacional, o... Deu pra pegar que eu sou fã, né? Hehe!

Hoje, trazemos para vocês o espetacular SLS AMG, avistado pelo nosso amigo Peter Spade na garagem de um prédio comercial de São Paulo! Sem dúvidas, um dos primeiros no Brasil. Que tal, hein?


Sem mais de mim, deixem seus comentários.

Mais SLS no Alto-Giro

-WS
Equipe Alto-Giro

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

[Alto-Giro] O Sultão do Michigan

Esse cara deve ser um dos maiores colecionadores de carros do mundo!
Veja que absurdo a quantidade e qualidade dos modelos!
Esse cara dos EUA rivaliza com qualquer bilionário de Dubai!



Dica do Rodolfo

- Rossi

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

[Alto-Giro] A Honda é a nova Toyota!??


Li faz algum tempo atrás, que a Honda está parando de fabricar o Civic Type R na Europa.

#&*%@... !!! o que tá acontecendo...?
Isso é mais um indício de uma teoria que eu venho formulando faz algum tempo já, baseado nas observações que tenho feito à Honda.

pensem.... a Honda estaria se tornando a nova Toyota??
Ou seja, estaria a Honda se tornando aquela montadora de carros eficientes e confiáveis, mas sem graça e nenhuma emoção?

Sabemos que a Honda cancelou já o projeto do sucessor do NSX. A Honda cancelou os projetos dos Acuras de tração traseira, que estavam planejadas para a próxima geração do RL (Honda Legend). Todos os Acuras Type R nos EUA foram extintos, e na Europa, esse fato mostra que o último Type R tbm está morrendo... O Civic Si, faz mais de duas gerações, deixou de ser referencia de hot hatch nos EUA. Quem quiser um pocket rocket agora vai atrás de Mazda Speed3 ou WRX...
O aguardado (e muito propagandeado) CRZ é uma decepção completa. Não tem absolutamente nada a ver com o CR-X, aqueeele hatch / conversivel compacto ultraleve baseado no Civic do começo dos anos 90. E a Honda, em alguns momentos, chegou a dizer que o CRZ tinha o "espírito" do CR-X.

O excelentíssimo S2000, com um 2.0 de 240 cv sem turbo, que gritava até 8000 rpm, morreu sem sucessores...!
Para se ter uma idéia, o carro mais intrigante da linha da Honda nos EUA lamentavelmente é um... Accord Coupe V6....!!
Isso pra uma empresa que criou legiões de fãs de Type-R's, que já fez o NSX, já teve uma equipe de F1 .. e aquele conceito HSC prometia tanto..!!!


Vejo cada vez mais que a Honda está deixando os entusiastas de lado pra seguir o caminho seguro dos carros médios abrangentes...
Lançando cada vez mais carros sem graça que agradam a grande maioria do público, exatamente a receita da Toyota de uns 10 anos atrás. Agora a "ousadia" da Honda é a criação de coisas um tanto ridículas, como o Accord Crosstour ou o Acura ZDX...


Agora a Honda investe forte em duas frentes: híbridos e SUV's...
esqueceram totalmente dos entusiastas.
Vejo cada vez mais uma inversão dos papéis.
Honda criando carros cada vez mais sem graça, e a Toyota mostrando sinais de vida, com o conceito FT-86, o Lexus LFA além de já terem registrado novamente o nome "Supra" nos EUA... a Lexus, pelo menos ainda tem a linha esportiva dela (F), mesmo não sendo muito boa.. pelo menos tentam..


pode ser só impressão minha também... espero estar muito enganado, pois mesmo que seja uma simples impressão, é bem frustrante...!

- Jackson

sábado, 11 de setembro de 2010

[Alto-Giro] O que é possível fazer em 4 minutos.


Quanto tempo se leva pra montar um carro atualmente??
Desde que entra na linha de produção, um carro deve levar quanto..? 4 a 5 horas?

Uma equipe do exército canadense mostra, de maneira nada menos que espetacular, como é possivel desmontar e montar um Jeep da segunda guerra em menos de 4 minutos!!

Se tiverem 4 minutos pra dedicar pra um vídeo interessante na net, recomendo que aperte play abaixo!






O vídeo mostra o que tornou o projeto do jipe da Willys-Overland tão vencedor. De simplicidade brilhante, o veículo de múltiplas finalidades mostrou sua capacidade na guerra, sendo facilmente desmontado, reparado e remontado, e foi certamente determinante para escrever o rumo da história.

- Xineis

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

[Alto-Giro Bizarro] Elitização FAIL (2)

Pois é, pelo jeito vemos essas tentivas frustradas de "exclusividade" automotiva não somente aqui em ruas brasileiras. Quando estive em Los Angeles em 2006, tirei foto exclusivíssimo e único BMW M7!!!


NOT!!

essa adaptação é tão tosca que dá pra ver
claramente como a grafia do número 7 foi tirada diretamente de um emblema de um série 7 normal, e nada tem a ver com o M que foi adaptado ao seu lado esquerdo.
Parabéns ao seu dono pela patética tentativa de distinção automotiva. Acabou de estragar um série 7 E38, pra mim a mais bela geração de todas...


Para ver outras curiosidades e bizarrices do Alto-Giro Blog, cliquem em "curiosidades" no menu de navegação lateral, ou aqui. Caso queira enviar a sua própria, mande um e-mail para altogiroblog@gmail.com, que a publicaremos.

- Xineis

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

[Alto-Giro Bizarro] Elitização FAIL

Estava no caminho de volta para casa hoje, quando avisto mais uma bizarrice automotiva nas nossas ruas.


Até então, um Mazda 929 normal.

Mas é se aproximando que percebemos a ridícula atrocidade cometida pelo seu dono.
Numa frustradíssima e patética tentativa de ascensão social através de seu cansado e abatido Mazda 929, o proprietário desse sedã japonês tenta enganar quem está a sua volta de estar a bordo de um Jaguar XJS, que nem sedã é!


O 929 até que teve seus momentos áureos, no começo da década de 90. Era o representante máximo da Mazda, sendo concorrente de pesos pesados no Japão, como o Honda Legend e Toyota Crown, e disso gozou de certo prestígio naquela época. Talvez seu dono teve a infeliz idéia de tentar resgatar o prestígio dissipado ao longo dos anos, e simplesmente colocou os emblemas do Jaguar XJS na traseira.
O motivo da escolha do XJS é um outro mistério. Talvez quisesse ele um Jaguar da época de seu frustrante 929... talvez quisesse ele um Jaguar mais desconhecido ao público em geral (afinal, ele não se atreveria a colocar um "S-Type"... pois aí sim levantaria suspeitas...).



Como não poderia faltar no pacote wannabe completo, temos um legítimo leaping cat da Jaguar no capô, um dos ornamentos mais icônicos do mundo automotivo. É realmente muito triste ver uma peça tão representativa sendo usada de uma maneira tão humilhante. O pior é que seu dono não se deu nem ao trabalho de remover o símbolo original da Mazda na grade.


O objetivo dessa adaptação tosca é incerto. Seja pra pagar de bacana, seja pra impressionar os (muito) desavisados, seja por frustração de não poder comprar um Jag de verdade... qualquer motivo que seja, o resultado final foi catastrófico.

Para ver outras curiosidades e bizarrices do Alto-Giro Blog, cliquem em "curiosidades" no menu de navegação lateral, ou aqui. Caso queira enviar a sua própria, mande um e-mail para altogiroblog@gmail.com, que a publicaremos.


Mais exemplos de tentativas frustradas de caracterização veicular nestes links:
Elitização Fail (2)

Elitização Fail (3)

- Xineis

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

[Alto-Giro] Placas de destaque: Parte 2

Dando sequência ao primeiro post, segue uma placa americana muito inteligente.
Seu trocadilho só se revela ao vê-la ao contrário!
Genial!
- Rossi

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

[Alto-Giro Avistamentos] Mitsubishi i MiEV

Algumas semanas atrás, numa visita à Expo Elevador 2010, dei de cara com o carrinho estranho das fotos:
Adicionar imagem
É o Mitsubishi i MiEV. Apesar desse nome idiota, que significa Mitsubishi innovative Electric Vehicle, o carrinho tem algumas coisas interessantes até. Baseado no Mistubishi i, o i MiEV tem motores elétricos instalados junto às próprias rodas, uma certa tendência nesse tipo de carro (ainda que não confirmada - vide Tesla Roadster). Isso eu acho legal: já que é pra ser 100% elétrico, por que não repensar de verdade o carro? Se você gosta de engenharia automotiva, vale a pena olhar melhor esse projeto.


Contudo, além do apelo de novidade, motivos ecochatos e blá-blá-blá, sobra pouco para falar desse carro. Ele vai na onda recente dos city cars: tem bom aproveitamento de espaço, "não polui" (entre aspas, sim, pois a geração de eletricidade não é 100% limpa), etc. Mas tem um design bem feio (ponto subjetivo, admito) e um interior horrível, capaz de passar vergonha perto dos nossos nacionais populares (a tela passa uma impressão de ter sido toscamente "enfiada" lá). Pode ser que isso seja só um protótipo, mas a execução poderia ter sido muito melhor.


Enfim, dá pra notar que ele quer se destacar simplesmente por ser elétrico, não por ser um bom carro que, porventura, é elétrico. Isso não me impressiona, assim como imagino que ocorra com a maioria dos que gostam mesmo de carros.

Se você quiser saber mais sobre o i MiEV, seguem alguns links:

Wiki: http://en.wikipedia.org/wiki/MIEV
Mistubishi: http://www.mitsubishi-motors.com/special/ev/


-WS
Equipe Alto-Giro