segunda-feira, 31 de agosto de 2009

[Alto-Giro] Motor V8 de LEGO


SENSACIONAL !!!!!!!

Um homem, sob o codinome de Barebo no Youtube, construiu com suas próprias mãos, um motor V8 de LEGO, e mais insano ainda, FUNCIONAL!!!



Segundo o próprio autor, foram dedicadas mais de 300 horas na construção desse modelo, que só não é totalmente funcional por não queimar nenhum combustível, mas com pistões e válvulas móveis, volante devidamente girando, assim como a ventoinha e a correia dentada, tudo construído de LEGO!!!!

Com um acelerador (de LEGO), ele controla a velocidade de seu V8, que só falta um carro de LEGO !!



Vejam esse vídeo fantástico abaixo, vale cada segundo:





Agora, sejamos francos... esse motor está excessivamente silencioso para um V8 de verdade... será este o novo V8 da Lexus (Legsus)??
=)

Para ver outras curiosidades e bizarrices do Alto-Giro Blog, cliquem em "curiosidades" no menu de navegação lateral, ou aqui.

-Xineis

domingo, 30 de agosto de 2009

[Alto-Giro] Mclaren F1 GTR 1995

A última enquete do Alto-Giro Blog foi proposta depois que o vídeo aqui postado acabou gerando uma discussão tanto na blogosfera, quanto em comunidades do orkut. O resultado abaixo mostra que, a maioria de nossos leitores ainda preferem a quase-perfeita competência técnica do Mclaren F1 ao motor apelativo de 1001 cv do Bugatti Veyron.


Bugatti Veyron
15 (46%)
Mclaren F1
17 (53%)
Votos até o momento: 32 Enquete encerrada



Em homenagem ao vencedor da enquete, postarei aqui fotos da única Mclaren F1 que eu vi em solo brasileiro!! Pena que estava no salão do automóvel, e não rodando nas ruas.



Esta peça de excelência da engenharia é o Mclaren F1 GTR. De acordo com a própria empresa, apesar de inicialmente a Mclaren ter projetado e produzido o F1 sem a intenção de competir nas pistas, o GTR surgiu em resposta à contínua demanda pelo modelo por times de diversas categorias de automobilismo. Assim, por incrível que pareça, ao contrário de muitos grandes esportivos que foram adaptações de carros de corrida, o Mclaren F1 GTR é um carro de corrida adaptado de um carro de rua!!! Isso é mais uma prova, talvez a maior de todas, da espetacular capacidade desse carro sensacional.

O GTR Fina no.39 aqui postado foi construído pela Mclaren em 1995 para competir no Global GT Endurance series, e no ano de sua introdução, simplesmente dominou o campeonato e venceu TODAS as provas.


Essas fotos mostram o carro no Salão Motor Show de São Paulo em 1997. Tudo que eu tinha em mãos era uma câmera simples com um filme de 36 fotos e a vontade e disposição de um garoto de 14 anos de idade a conhecer o salão do automóvel sozinho! Lembro que foi um dos eventos mais legais que passei na minha vida até então! Lembro também que fiquei embasbacado ao ver o Mclaren F1, que, curiosamente, pouca gente dava bola! Como pode ser visto nas fotos acima, esse F1 estava com uma cerca bem baixa e de pouco espaço, e quase sem nenhum público à sua volta, algo inimaginável para o melhor carro da exposição!

Abaixo segue mais algumas fotos desse carro espetacular.





- Xineis

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

[Alto-Giro] Lincoln Continental 1964 à venda no Ebay




O Lincoln Continental de terceira geração, na minha opinião, é um dos Lincolns mais bonitos que já existiram. Sua carroceria de linhas retas e ângulos recortados formam um conjunto muito elegante e harmônico, e de alguma maneira, têm implícito um ar ameaçador. Alguém consegue imaginar algum carro mais perfeito para os gângsters da década de 60? O Continental mark III já foi inspiração de muitos outros, inclusive alguns Lincolns atuais, e já estrelou em diversos filmes, sendo sua aparição mais importante nas cenas de Matrix. É uma pena que sua linhagem não conseguiu carregar a áurea desse seu apogeu, sendo melancolicamente extinto em 2002.




Esse exemplar, no entanto, não tem somente um ar ameaçador. Ele simplesmente é ameaçador. Seu dono investiu mais de US$120.000 no seu amado Continental, e põe agora à venda no Ebay. Dessa fortuna, uma parte foi para trocar seu motor por um novo V8 Windsor da Ford, vendido atualmente como motor para preparação pela Ford Performance Parts, divisão da compania que vende peças especiais. Este motor gera mais de 700 hp neste Lincoln.








Além disso, este Lincoln têm instalado um sistema hidráulico de suspensão, fazendo-o uma das mais belas interpretações de low rider que já vi!!! Caso alguém gostou desse Continental espetacular (alguém consegue não gostar...?), está com preço inicial de US$ 30.000 no leilão eletrônico da Ebay. Se alguém decidir trazer aqui pro Brasil, o Alto-Giro Blog ficaria muito honrado em poder conhecer esta máquina ao vivo. =)





- Xineis

[Alto-Giro Bizarro] Toyota Prius Limo

Ok, essa não é nova, mas acho que vale o post até porque o Xineis avistou um Prius aqui em SP outro dia (ver post anterior).

Um maluco dos EUA resolveu fazer um puxadinho no Prius dele, pra acomodar a prole e suas tranqueiras. O resultado foi um Prius de 6 portas!

Aqui o processo de esticar o bicho:

Veja as 6 portas funcionais. São 10 lugares agora!

Mas parece que ainda não foi o suficiente pra esse FDP:

Bom, como agora a moda é a sustentabilidade, os tarados por carros gigantes estão trocando os Hummer limo por híbridos limo...hehehe

Para ver outras curiosidades e bizarrices do Alto-Giro Blog, cliquem em "curiosidades" no menu de navegação lateral, ou aqui.

- Rossi

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

[Alto-Giro Avistamentos] Toyota Prius em São Paulo


Outro dia após o expediente, estava descendo a Al. Campinas em direção contrária à Av. Paulista, quando, no meio de um oceano de Corollas e Civics, bem com o cantinho do olho eu vi mais um Toyota.... mas achei estranho por que ao mesmo tempo que minha cabeça pensou que era um carro bastante comum e bem conhecido, eu sabia que de certa forma tinha alguma coisa estranha com essa cena e que alguma coisa estava fora do lugar.



Resolvi olhar melhor e lá estava um Toyota Prius, rodando quase que anonimamente nas ruas de São Paulo. Com placas normais, não parecia ser da frota da Toyota, e seu dono não se incomodou comigo tirando fotos.

Apesar de ser um carro bem comum em ruas americanas, o híbrido da Toyota tem bastante exclusividade aqui em terras tupiniquins, sendo este o primeiro exemplar que já vi rodando por aqui. Este Prius é o de terceira geração, fabricado entre 2004 e 2009.



Apesar de muitos criticarem seu desenho sem graça em formato de cunha-sob-rodas, a tecnologia que esse carro carrega é impressionante. Combina um motor elétrico de 67 hp ao 4 cilindros 1.5L de 76 hp, mas o melhor é seu torque: se o motor a combustão dá cerca de 12 kgmf de torque, o motor elétrico oferece cerca de 40 kgmf. E o torque em motores elétricos se disponibiliza quase que instantaneamente, resultando numa resposta muito rápida ao acelerar.
O mote da baixa emissão de poluentes de carros híbridos, no entanto, não seria um argumento tão forte aqui no Brasil, onde grande parte da frota roda com álcool, combustível renovável. Sua exclusividade, no entanto, é inegável!



Aproveitando, estou postando aqui também um outro Toyota difícil de se ver por aqui, que fotografei do lado de uma F-150. É um Toyota Belta, mais conhecido também como Toyota Yaris Sedan. Este seria o concorrente direto do Honda City, recém lançado aqui no Brasil. Tem motores 1.4L de 84 hp, 1.5L de 109 hp e 1.6L de 122 hp

- Xineis

[Alto-Giro Avistamentos] Punto europeu 2003

Esse avistamento foi enviado por nosso leitor Marcelo Fontana por email. Você também pode fazer isso. É só mandar um email com o carro que você viu e descrever a situação. Nosso email está no menu ao lado.
O Marcelo fez esse flagra perto de Campinas (SP) e pensou ser o próximo Uno. Mas podemos ver que se trata do Fiat Punto "Mark 2" com facelift.
Esse carro foi lançado em 1999 na Europa, com essa frente:

Mas em 2003 sofreu uma leve reestilização e ficou parecido com nosso Palio da geração anterior à atual. A traseira, permaneceu a mesma.Obrigado Marcelo pela dica. Enquanto isso, aguardamos o verdadeiro próximo Uno.

- Rossi

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

[Alto-Giro] Uma voltinha por Rodeo Drive, Beverly Hills

Vendo os Maseratis no Street View, assim como os carros em Laguna Seca e o Bentley Continental GT, fiquei animado pra dar umas "voltinhas" pelas ruas da Califórnia, onde já estive algumas vezes.

Aproveitei pra passear pela Rodeo Drive, em Beverly Hills, a rua mais chique dos Estados Unidos.
A Rodeo Drive foi um lugar onde tive diversos avistamentos espetaculares ao vivo, quando estive lá faz alguns anos atrás.

E não deu outra... só de dar uma voltinha por lá, deu pra encontrar uma 360 Spider e um Rolls Royce Phantom de bobeira, enquanto seus donos fazem compras nas lojas da rua mais cara do país!!
Durante meu passeio virtual, sou seguido o tempo todo por um belo G35, e uma hora chego a cruzar uma S65 AMG estacionada também.


Exibir mapa ampliado



Exibir mapa ampliado

se virarmos à direita na Dayton Way, também vemos um 911 cabrio.


Exibir mapa ampliado

continuando meu rolêzinho virtual.... virei à direita e peguei a paralela na Beverly Dr. Não demorou muito até aparecer outra italiana...


Exibir mapa ampliado
F430 spider. Do lado do carro câmera, uma G55 AMG. Se vocês girarem essa mesma vista, logo atrás vão ver um Rolls Royce Silver Shadow azul estacionado. Andando um quarteirão, temos ainda uma M5 preta.

Vamos virar de novo, agora na Brighton, e voltar à Rodeo. Voilá! Outra F430, que para se destacar entre tantas outras, colocou rodas pretas.


Exibir mapa ampliado



pois é...
lá a realidade é outra..!!! Se vimos tudo isso com uma simples VOLTA NO QUARTEIRÃO, dá pra saber por que com certeza são os EUA considerado o país dos automóveis.
Essa voltinha só serviu pra me deixar mais deprimido com a triste mediocridade automotiva no Brasil.

Imaginem visitando a "Rodeo Drive paulistana", a rua Oscar Freire. Veria incontáveis Civics, Corollas, Tucsons, e com alguma sorte, uma X5 estacionada no meio de um monte de motoquinha CG150. Veria também alguns Audi A3's, inevitavelmente com rodas personalizadas, para poderem se destacar e se diferenciar..... quase a mesma coisa que o dono da F430 teve que fazer, aí acima!! =)

Em breve começarei uma série de avistamentos de carros nos EUA, de fotos que tirei da minha última temporada lá.

- Xineis

[Alto-Giro] MINI Coupé Concept

Já viram a concessionária da MINI na Av. Rebouças aqui em SP?
Não é nada "mini"...hehe...é gigante e tem carro pra caramba. Quero visitar lá um dia.
Mas indo ao assunto do dia: MINI Coupé Concept. Se o pequeno já tinha esportividade, com essa versão, ficou bem mais agressivo.
A apresentação desse conceito foi hoje, dia 26 de agosto, exatos 50 anos após a primeira apresentação do Mini.
Vejam:

Eles colocaram o motor 1.6 turbo de 211hp que já é utilizado na versão John Cooper Works.

Por enquanto, ainda não tem previsão de lançamento. Diferentemente do crossover, que deve ser lançado em breve.
O que acharam? Eu gostei, mas acho que podiam ter feito logo um coupé-cabriolet com capota rígida...hehehe

Fonte: Car Body Design

- Rossi

terça-feira, 25 de agosto de 2009

[Alto-Giro Avistamentos] Maseratis no Street View

Mais um da série Avistamentos Virtuais.
Um Maserati Quattroporte prata e um Maserati Gran Turismo preto.
Infelizmente o GT estava estacionado atrás.
O Quattroporte já é comum aqui em SP e nem tem mta graça ver.


Exibir mapa ampliado


- Rossi

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

[Alto-Giro] Gran Turismo 5 com carros detonados!

O próximo Gran Turismo terá o chamado "Damage Rendering", que é a opção de ver os destroços do carro durante as corridas.

É muito chato você dar várias porradas no carro e nada acontecer com a carroceria.

Veja esse video demonstrativo, que animal:



- Rossi

domingo, 23 de agosto de 2009

[Alto-Giro] Citroën Picasso patética no QRX



Como já publicamos anteriormente, o Alto-Giro Blog tem uma opinião um pouco polarizada sobre o QRX. Se o evento foi bem interessante por um lado, ao dar a oportunidade a muitos de se encontrar com carros históricos, por outro lado, a parte mais importante do evento, a dos test-drives, foi uma completa decepção, ao oferecer ao público pagante carros que por si só eram ridículos de estarem dentro de um autódromo.

A participação da Citroën no QRX, no entanto, vai muito além do desapontamento: chega a ser patética! Enquanto muitas marcas ofereciam, ao lado de carros ordinários, algumas opções ao menos interessantes de se pilotar, a Citroën oferecia a "honra", a quem estivesse disposto a pagar, de dirigir alguns C3's, C4's ou um C6!!! Mas nada - NADA - superou a palhaçada abaixo.


foto extraída do álbum do Almirbac

Em um ato de completo desrespeito ao público, a Citroën deve ter pego um Xsara Picasso que estava sobrando na sua frota e decidiu "tuná-la", para fazer seu orgulhoso Citroën Xsara Picasso Sport. O próprio conceito de um Picasso sport já por si só é contraditório. Seria algo bem estranho encontrar uma minivan totalmente voltada à esportividade. É uma pena que nem isso, o carro das fotos é.

A Citroën teve a CORAGEM de querer enganar o público presente afirmando ser este um carro completamente retrabalhado, totalmente construído para ser um esportivo de verdade para evento. Infelizmente para a Citroën, foi só investigar um pouco (bem pouquinho mesmo) pra descobrir a picaretagem da marca francesa.

O Picasso """""Sport""""" (bota aspas nisso...) é um Xsara Picasso com mecânica normal, sem qualquer modificação no motor ou câmbio... mas com um body-kit exagerado, com entradas e saídas de ar completamente sem função, um aerofólio de péssimo gosto (já vi alguns Chevettes com aerofólios melhores), tudo e um pouco mais do que um bom "tuning" precisa para enganar desavisados.
O melhor, a cereja no topo, no entanto, está nas fotos abaixo.




Quando vi pela primeira vez o Picasso com esse body-kit alargado, confesso que cheguei a acreditar que era um carro profundamente modificado para esse evento. Cheguei até a achar estranho que a Citroën escolheu uma minivan para fazer alterações tão profundas. Mas fazer o que, às vezes eles queriam promover o carro.



Acontece que era só mais uma enganação da marca. E está aí a maior picaretagem de todas.
Para que as rodas ficassem ajustadas à nova largura da carroceria, a Citroën colocou CALÇOS entre os freios e as rodas, para alargar a bitola!!! Isso foi COMPLETAMENTE PERTUBADOR!! A única coisa que me veio à cabeça quando vi isso, foi: RIDÍCULO!!!
Com certeza isso piora o comportamento do carro nas pistas, um ato oposto ao que devia ser feito para o evento. Seria como sabotar seu próprio carro de corrida...

Mas continuei a analisar a gambiarra francesa, e vejam só: na mesma foto, dá pra ver claramente os ridículos e minúsculos FREIOS A TAMBOR do suposto "esportivo das pistas". Nada melhor pra fechar a palhaçada.

Ninguém gosta de ser enganado. A Citroën foi completamente infeliz ao tentar enganar a todos com seu suposto esportivo. Talvez muita gente nem pense da mesma maneira... com certeza muita gente achou legal o carro, pelas suas modificações e apêndices aerodinâmicos adicionais. Mas acredito que, para quem gosta de carros DE VERDADE, isso tudo foi simplesmente pertubador. Um ato completamente desrespeitoso à quem foge um pouco da ignorância automotiva geral.

Para ver outras curiosidades e bizarrices do Alto-Giro Blog, cliquem em "curiosidades" no menu de navegação lateral, ou aqui.

- Xineis

sábado, 22 de agosto de 2009

[Alto-Giro Bizarro] Ferrari 599 GTB dourada

Adivinha onde esse carro foi avistado?
Errou, não foi em Dubai.
Mas foi em Cannes, França, onde o povo gosta de aparecer também.


Para mais bizarrices e curiosidades automotivas, clique aqui.

- Rossi

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

[Alto-Giro Ao Volante] Pontiac G6 GT



É, galera, para o (des)contentamento de nossos fiéis seguidores, continuamos aqui a série Alto-Giro Ao Volante! E pior: com uma marca que nem existe mais: a Pontiac. Numa viagem curta aos EUA, tive a oportunidade de dirigir esse G6 GT aí em cima por uma semana. Foi o suficiente para que eu formasse uma boa opinião quanto ao carro, confirmando alguns e negando outros preconceitos com os carros americanos.

Continue lendo esse post...


De desenho neutro, o G6 mostrava-se um legítimo Pontiac graças à grade bipartida, uma espécie de duplo rim da BMW, mas de gosto discutível. Na traseira, um pequeno aerofólio tenta dar um pouco de esportividade ao sedã. Como dá pra ver na foto de cima, a versão do "meu" G6 era a GT, ou seja, quase 220 cv de potência no V6! Pros nossos parcos padrões aqui no Brasil, sem dúvida prometia. E cumpriu. O carro acelerava muito bem, mesmo com o câmbio automático de 4 marchas - que, aliás, tinha um recurso de troca seqüencial na alavanca muito bom e rápido, algo surpreendente para um americano. O que não surpreendeu (mas agradou muito) foi o torque em baixa, algo muito valorizado pelos gringos e que garantiu boas cantadas de pneu nas arrancadas.



A suspensão, por outro lado, não me pareceu muito americana: passava cada defeito do asfalto para o volante. Ou seja, provavelmente um tanto dura para os ianques - talvez mostrando o viés esportivo, algo que já foi marcante nessa, por vezes esquizofrênica, marca da GM. Mas isso não é meu problema, eu gostei bastante dessa comunicação com a "pista", ainda mais no asfalto liso e quase sem buracos de lá. Não me vi em nenhuma situação em que pudesse pôr esse comportamento à prova, já que as estradas que peguei se destacavam pela falta de curvas, mas não o conjunto não comprometeu quando forçado de leve.



Passando agora ao interior: as primeiras impressões foram boas. O painel de instrumentos, bem desenhado, agradou pelos aros cromados em volta dos mostradores. O volante forrado de couro tinha boa pegada, além de um desenho tradicionalmente esportivo, com três raios. Os comandos satélite do rádio (os do monótono cruise control não usei) não eram nada de especiais, mas estavam lá. A propósito, esse carro estava equipado com rádio por satélite, uma mania nos EUA. Achei bem legal, sobretudo porque você vai trocando de rádio como troca de canal na TV, com estações temáticas, inclusive algumas especializadas em stand-up comedy. O que eu não gostei foi o rádio dividir o mostrador com o computador de bordo, o que dificulta a leitura enquanto se dirige. Ah, mas uma das informações disponíveis era a pressão dos pneus (dispositivo obrigatório por lá), e foi curioso notar o quanto ela variava com a temperatura. De manhã, quando estava bem frio (perto de 0∘C), até o meio-dia (a uns 15∘C), a variação era de até 5 psi. Foi surpreendente pra mim.



Continuando, os bancos tinham um desenho meio "gordo" e sem muito apoio lateral. O tecido do revestimento não era muito bom, não deixando uma boa impressão. Mas pior que isso era a ausência total de outro material que não fosse plástico nos painéis de porta. E de baixa qualidade. Isso sim é um estereótipo: carro americano com interior plastiquento. Como era um carro de locadora, darei um desconto, mas duvido que haja alguma versão com acabamento melhor.



Aí em cima dá pra ver as saídas de ar da cabine - que lembram as do EcoSport, entre outros - e os comandos do ar condicionado, além do display compartilhado do rádio/computador de bordo. A alavanca de câmbio tinha um acabamento bonito, talvez meio exagerado com esse cromadão, e a pegada era boa. O freio de mão era forrado de couro. O espaço interno era bom se comparado com os "médios" brasileiros, mas nada de impressionante para uma classe que tem Toyota Camry e Honda Accord como maiores expoentes de venda - corrija-me se estiver errado, Xineis :-). Mas uma das coisas mais legais nesse carro precisa de um videozinho para ser explicada:

video

Isso mesmo, o G6 veio com partida remota no controle. Aparentemente não muito incomum nos EUA, esse dispositivo permite que se ligue o carro de dentro de casa, para que o motor vá esquentando e o aquecimento funcione a pleno vapor (talvez tema de um curto post técnico para o Galileu?). Mas provavelmente é mais adotado pelos "elegantes" tuners que, além da partida a distância, fazem pular seus low riders de duas ou três décadas atrás através do controle remoto.

No geral, achei o G6 um carro sem graça, mas razoável. As características que agradavam nele (motor forte, por exemplo) são facilmente encontradas em concorrentes com mais pontos fortes. Seu desenho exterior é bastante monótono, mas supera, na minha opinião, o do Chevy Malibu, por exemplo. Num mercado com tantas opções como o americano, deve haver compradores que escolham o G6. Ou, melhor dizendo, não. Por isso, ele vai deixar de existir. Pra finalizar, o "carrinho" que ficava à disposição dos hóspedes do hotel (com motorista, claro): uma Suburban!



WS


quarta-feira, 19 de agosto de 2009

[Alto-Giro Avistamentos] Bentley Turbo R

BENTLEY TURBO R


Aproveitando o assunto sobre o lançamento do novo Bentley Mulsanne, postarei aqui um avistamento que tive faz cerca de 2 anos atrás.

Trata-se de um veículo que foi originado do Mulsanne, lançado em 1980. O Turbo R substituiu o Mulsanne Turbo em 1985. A julgar pelas características do carro da foto, esse é um Turbo R pós-1989, devido aos seus faróis redondos quádruplos, e pré-1995 quando adotou para-choques mais envolventes.

Essas fotos foram tiradas em São Paulo, perto de onde agora está o shopping center Cidade Jardim. É um privilégio poder encontrar carros que são considerados entre os mais nobres e exclusivos do mundo, rodando pelas ruas paulistanas! E, não importa o modelo e ano de fabricação de um Bentley, seu estilo clássico e elegância sempre é muito impressionante.




Aproveitando, coloco aqui também um avistamento que eu tive em 1999 na China, na província de Guang Xi. O Rolls Royce Silver Spirit Mark I é o percursor de toda a linhagem do Mulsanne, apresentada no post anterior aqui no Alto-Giro! O Mark I foi produzido entre 1980 e 1989, e apresenta esses faróis retangulares quádruplos, depois substituídos por um farol retangular único maior.


Este Rolls estava estacionado em um condomínio residencial na cidade de Guilin. Morei lá por mais de um ano, e curiosamente, o proprietário desse Rolls tinha não somente este branco, mas também outro Silver Spirit preto. Infelizmente, no dia que tirei a foto só estava presente o carro aqui mostrado. Realmente, um carro de família real.

- Xineis

terça-feira, 18 de agosto de 2009

[Alto-Giro] Bentley Mulsanne

Bentley Mulsanne



A Bentley acaba de apresentar seu novo topo de linha, seu carro chefe que representa a marca, conhecido antes de seu lançamento como the Grand Bentley. Apresentado agora no evento Pebble Beach Concours D'Elegance, em Monterey, na Califórnia, o Mulsanne foi desenhado e projetado para representar o máximo apogeu da Bentley.


Contruído sobre uma plataforma completamente nova, é cerca de 28 cm mais longo que o Continental Flying Spur. A Bentley renova seu carro-chefe na mesma época que seu principal concorrente e antigo proprietário, a Rolls-Royce, lança um modelo inferior ao Phantom justamente para concorrer na faixa de preço que o Arnage se situava.

No entanto, apesar da declarada concorrência tanto no posicionamento de mercado, quanto no prestígio da marca, compradores tradicionais de Bentleys e Rolls-Royces normalmente não comparam um produto ao outro na hora de integrar mais um membro automotivo real em suas garagens. Não é como comprar um Civic ou um Corolla. Clientes de Rolls-Royces tendem a ser muito mais tradicionais e conservadores. A Bentley, por outro lado, sempre conservou sua tradição das corridas. É por isso que, se o cliente da Rolls não se importa muito com o trem de força ("o suficiente" já basta), Bentleys têm compradores que guiam seus carros, e terão também um motor pra corresponder às suas expectativas: o conhecido V8 biturbo de 6 litros e 3/4 do Arnage, mas muito aprimorado no novo modelo, que é esperado que produza 500 cv e descomunal torque de cerca de 100 kgfm.



Bentley Mulsanne 1985

Substituto do belíssimo Arnage, o Mulsanne retoma o nome do sedã fabricado entre 1980 e 1992. Ambos levam o nome da curva Mulsanne de Le Mans, e assim como outros Bentleys, fazem referência ao circuito onde é disputada a prova de 24 horas, que já foi vencida seis vezes pela empresa, outra prova da tradição nas pistas da marca. Do Mulsanne de 1980, surgiram como variantes o Bentley Eight (1984-1992), o Turbo R (1985-1997) que era uma versão do Mulsanne com motor sobrealimentado, o sensacional coupé Continental R/S/T (1991-2003) e o simplesmente magnífico Azure (1995-2003). Foi remodelado sob o nome de Brooklands, e substituído finalmente pelo Arnage em 1998.

Curiosamente então, que o primeiro Bentley top-de-linha da era pós-Rolls retoma o nome de um Bentley que era quase uma cópia do Rolls-Royce Silver Spur, da mesma época. Além disso, o desenho frontal dos faróis laterais deslocados lateralmente para baixo, são uma inspiração de Bentleys de 1950, época que também estava sob o controle da Rolls-Royce.

E é exatamente essa a parte mais controversa do novo carro. É possível ver, nas diversas fontes de informação eletrônicas, como diversos autores criticam sem dó a disposição dos faróis do Mulsanne. A lateral possui linhas pesadas, com um contorno sobre o paralama traseiro, que podem ou não agradar alguns. A traseira é marcada pelas lanternas bem semelhantes à da linha Continental, com três seções ovaladas no seu interior, além de um porta-malas com tampa saliente.
Confesso que, à primeira vista, não fui com a cara do Mulsanne. Afinal, de uma casa onde saiu o Continental GT há 6 anos atrás, era de se esperar um Grand Bentley espetacular. O Continental GT, desenhado pelo brasileiro Raul Pires, com suas linhas fluidas e elegantes, com proporções quase perfeitas, têm beleza incontestável. Já a reação ao Mulsanne foi polarizante.

Mas antes de apontar se o novo Bentley é belo ou feio, acredito que a intenção da Bentley foi seguir o conceito estilístico que a RR fez com seus produtos atualmente. Tentou-se criar um carro de desenho atemporal, e que representasse fielmente os valores da marca. Esses tipos de carros não necessariamente são bonitos (alguém acha o design do Phantom mesmo bonito??), mas tenta-se criar um design clássico de modo que no futuro este carro ainda represente exatamente o que tentou-se passar na época de seu lançamento. Refletindo rapidamente, podemos pensar no Rolls-Royces Phantom e Ghost e o Jaguar XJ (antigo).




Bentley 8 litre

Se a Bentley realmente conseguirá realizar esse feito, é difícil de dizer. A marca diz que construiu seu novo carro-chefe baseando em sua tradição, inspirado principalmente no modelo 8.0 litre, de 1930, que representou o último grande Bentley "puro", época em que era um dos maiores e mais luxuosos carros do mundo.

Segundo a apresentação à imprensa pela própria Bentley:

"O novo Mulsanne, desenhado e projetado em Crewe desde o começo, reafirma nossa habilidade e desejo de construir uma nova geração de puros grand Bentleys"

Segue abaixo, um vídeo da própria Bentley, divulgada antes da apresentação do Mulsanne.




- Xineis